Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/08/16 às 13h06 - Atualizado em 30/10/18 às 11h46

Adasa promove audiência pública sobre escassez hídrica

COMPARTILHAR

Você deve saber

Da Agência Brasília

Cidadãos podem contribuir com documento, desenvolvido pela agência, que estabelece volumes de referência da água e medidas de contenção

Em audiência pública na terça-feira (9), a população de Brasília poderá sugerir medidas que devem ser tomadas no caso de escassez hídrica em Brasília. O evento é promovido pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa).

O encontro será das 9 às 12 horas, no auditório da autarquia (Parque Ferroviário de Brasília, Estação Rodoferroviária, Sobreloja Ala Norte). É preciso chegar com uma hora de antecedência para fazer a inscrição.

Esta será a segunda audiência pública sobre o assunto. Na primeira, em 6 de julho, foi apresentada a minuta da proposta de resolução que estabelece os volumes de referência e as medidas de contenção para situações críticas de escassez hídrica nos reservatórios do Descoberto e de Santa Maria.

O material resultante da reunião foi levado para debate no Conselho de Recursos Hídricos, da Secretaria do Meio Ambiente, na quarta-feira (3).

Agora, no evento da semana que vem, será possível fazer novas colaborações. Além disso, os cidadãos podem enviar sugestões para o e-mail AP_005_2016@adasa.df.gov.br até as 17 horas de terça (9).

O que diz a resolução até o momento

A versão atual determina três estados de cuidado relativos à quantidade de água nos reservatórios que abastecem o Distrito Federal.

Caso o nível diário da água esteja igual ou inferior a 60% do volume útil, será estabelecido o estado de atenção. Nesse momento, a agência pode fazer campanhas sobre a necessidade de redução do consumo de uso de água, intensificar a fiscalização nas áreas dos reservatórios e controlar o abastecimento para manter a distribuição do recurso equilibrada.

Se o volume hídrico estiver a 30% ou menos, é estipulado o estado de alerta. Nele, a Adasa declara situação crítica de escassez hídrica, amplia as ações para sensibilizar a comunidade e pode até adotar mecanismos tarifários de contingência.

O último estado é o de restrição de uso, com nível nos reservatórios igual ou inferior a 20% do volume útil. Então, é declarado regime de racionamento preventivo.

Condições hídricas atuais de Brasília

Os níveis dos reservatórios estão abaixo de 60% do volume útil, o que coloca Brasília em estado de atenção, de acordo com o texto preliminar da resolução. No entanto, a Adasa assegura que não haverá racionamento na cidade em 2016.

Dados do Instituto Nacional de Meteorologia indicam que a última chuva forte na capital foi no início de abril. Em maio, o volume de chuvas ficou 90% abaixo da média. A umidade relativa do ar chegou a 7% em julho.

Audiência pública sobre medidas em caso de escassez de água no DF
9 de agosto (terça-feira)

Das 9 às 12 horas (inscrições a partir das 8 horas)
Na sede da Adasa (Parque Ferroviário de Brasília, Estação Rodoferroviária, Sobreloja Ala Norte)
Entrada livre

Veja mais:

CRH debate medidas preventivas para reservatórios na seca

Secretário de Meio Ambiente comenta a reunião do CRH em vídeo

Barragem do Descoberto cheia em março de 2016. Foto: Tony Winston/Agência Brasília.