Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/08/16 às 16h41 - Atualizado em 30/10/18 às 11h46

Administrações regionais apresentam programação na Virada

COMPARTILHAR

Notícias

Vinte e quatro regiões vão participar. Atividades locais estão incluídas nos cinco dias do programa

(Brasília, 17/8/2016) – As 24 administrações regionais confirmadas na Virada do Cerrado de 2016 apresentaram nessa terça-feira (16) as programações locais para o programa em uma reunião do Comitê Criativo. Águas Claras, Brazlândia, Candangolândia, Ceilândia, Cruzeiro, Estrutural, Fercal, Gama, Guará, Itapoã, Jardim Botânico, Lago Norte e Varjão, Paranoá, Park Way, Planaltina, Plano Piloto, Riacho Fundo II, São Sebastião, SIA, Sobradinho, Sudoeste e Taguatinga são as regiões administrativas inscritas. Até Padre Bernardo, em Goiás, vai realizar atividades.

O administrador do Lago Norte e Varjão, Marcos Woortmann, destacou que “é importante sincronizar os sonhos para fazer a Virada do Cerrado acontecer”. Segundo o administrador, a Virada é um dos processos mais ricos que a administração pública pode proporcionar, já que as pessoas são protagonistas.

“A Virada tem um papel de gerar conexões porque tem muita gente fazendo muita coisa e achando que está fazendo sozinha, mas não está”. Segundo ele, os protagonistas desse processo se reconhecem e isso pode se consolidar como uma política pública quando o governo entra como catalisador desse movimento. “Podem esperar um crescente, à medida que as pessoas se reconhecem”.

Este ano, anunciou Woortmann, a Virada será feita em conjunto com o aniversário da região administrativa. Serão realizadas inaugurações de hortas urbanas, com a participação dos movimentos comunitários, informou.

Everardo Aguiar, da ONG DF em Movimento, já participou da Virada em 2015. Ressaltou a importância da participação da sociedade civil e de fazer com que o movimento se perpetue no Distrito Federal. Salientou que a mobilização no ano passado foi maior do que parecia pouco antes da semana e acabou se confirmando. E o mesmo deverá acontecer este ano. “A Sema tem dado um exemplo extraordinário de como fazer as coisas de forma colaborativa”.

Para a subsecretária de Educação e Mobilização Socioambiental da Secretaria de Meio Ambiente (Sema-DF), Gabriela Barbosa Batista, essa será uma “virada de consciência, já que traz políticas públicas relevantes como o envolvimento integrado entre governo e sociedade civil”.

Na reunião foi apresentado o kit digital. A coordenadora de Educação e Mobilização Socioambiental da Sema-DF, Juliana Pinto, ressalta que o objetivo é “descentralizar”. “Esse kit vai possibilitar que as administrações regionais utilizem a cara da Virada nas suas programações”, afirmou.

A programação e o kit digital podem ser encontrados no site da Virada do Cerrado. Baixe o kit digital.

Virada do Cerrado 2016

De 7 a 11 de setembro, a população de Brasília vai poder participar de uma série de atividades ligadas à preservação do bioma do DF. A segunda edição da Virada do Cerrado ocorrerá em várias regiões administrativas de Brasília. Cerca de 30 entidades fazem parte do grupo, entre órgãos do governo local e federal, movimentos sociais e membros da iniciativa privada.

Dentro do assunto mudança climática, a ideia é que os participantes desenvolvam ações ligadas aos quatro elementos da natureza – água, ar, terra e fogo – e assim desenvolvam questões como reflorestamento, preservação de bacias hidrográficas, mobilidade urbana e manejo de nascentes.

“Vivemos um momento estratégico de mudança sobre a questão climática e o mundo está discutindo isso. Precisamos dialogar com a sociedade as boas práticas, mostrando que é possível tornar Brasília uma capital sustentável”, resume a subsecretária de Educação e Mobilização Socioambiental, da Secretaria do Meio Ambiente, Gabriela Barbosa Batista.

Saiba mais:

Secretário de Meio Ambiente convida a todos para participar da Virada do Cerrado 2016

Site da Virada do Cerrado

Facebook da Virada do Cerrado

Da esquerda para a direita: subsecretária de Educação e Mobilização Socioambiental da Sema-DF, Gabriela Barbosa Batista; Administrador do Lago Norte e Varjão, Marcos Woortmann; Everardo Aguiar, da ONG DF em Movimento. Foto: Murilo Lins/Sema-DF.