Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/03/18 às 18h27 - Atualizado em 30/10/18 às 11h48

Após dois anos fechado, Centro de Práticas Sustentáveis volta para população do Distrito Federal

COMPARTILHAR

FOTO: Eduarda Brogni

Criado como forma de compensação ambiental pela construção do Bairro Jardins Mangueiral, o Centro de Práticas Sustentáveis (CPS) foi entregue oficialmente nesta quinta-feira (29) ao Governo de Brasília e à população do Distrito Federal. Localizado no Jardim Mangueiral, o espaço oferecerá cursos, palestras e workshops que terão a programação divulgada no mês de abril.

 

“Este centro será de integração entre a cultura, o meio ambiente e a educação. É um espaço de vanguarda, um novo modelo que deve se multiplicar em outras regiões do DF”, disse o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, na cerimônia de inauguração nesta manhã.

 

Com um projeto arquitetônico para a sustentabilidade, o CPS ficou dois anos fechado e, após  adequações de acessibilidade, passa a ser administrado pelo Instituto Brasília Ambiental (IBRAM) por meio de parcerias do Governo de Brasília e entidades da sociedade civil.

 

Dentre as parcerias realizadas do CPS está a com o Jardim Botânico de Brasília para produção e distribuição de mudas do Cerrado; e a com o Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde (CERPIS) para produção de ervas medicinais.

 

O secretário de meio ambiente do Distrito Federal, Igor Tokarski, destacou ainda que a expectativa do modelo inovador de gestão compartilhada do empreendimento é que não apenas o Governo esteja presente no cotidiano do Centro de Práticas Sustentáveis do Mangueiral. “A comunidade será a grande protagonista dos trabalhos a serem desenvolvidos em conjunto com a administração pública. A comunidade do Distrito Federal tem que se apropriar desse imenso espaço para que nós possamos estimular as práticas sustentáveis na nossa cidade, desenvolver Brasília como uma cidade sustentável, fomentar a bioeconomia, estimular a educação e a conscientização em relação ao cerrado que pode apresentar grandes frutos dentro da medicina, da culinária, do artesanato, fazendo com que as pessoas possam de fato gerar renda a partir da exploração sustentável do nosso bioma”, explicou.

 

Aldo Vieira, presidente do Ibram, lembrou ainda que, em se tratando de sustentabilidade as ações são fundamentais. “Sustentabilidade não pode ser apenas um discurso. Ela tem que ser praticada e aqui nós vamos praticar o futuro”, disse.

 

O espaço de 10 mil m2 do Centro de Práticas Sustentáveis foi construído com materiais comprados de empresas certificadas pelo programa internacional de atuação responsável com o meio ambiente. Na produção dos painéis de fixação das paredes de taipas e no rodapé de alguns cômodos e nos eletrodutos da edificação, por exemplo, utilizou-se bambu. As taipas, por sua vez, foram produzidas com o barro da própria obra, e a madeira é de reflorestamento certificado.

 

O centro conta com 10 espaços que podem ser usados como salas de aulas. Desses, há duas cozinhas experimentais para cursos de culinária experimental. Na área, também tem um auditório, dois viveiros, um galpão feito com bambu, uma sala multiuso e outra para artesanato. Além disso, o CPS tem um cinema de 18 m2 para a exibição de filmes com o tema de sustentabilidade.

 

Os interessados em contribuir com as atividades feitas no centro deverão entrar em contato com a Superintendência de Estudos, Programas, Monitoramento e Educação Ambiental pelo telefone (61) 3214-5650.