Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/09/19 às 17h40 - Atualizado em 18/09/19 às 22h02

GDF apresenta programas sustentáveis em São Paulo

COMPARTILHAR

A experiência do Governo do Distrito Federal como integrante do Projeto CITinova, com abrangência nacional e projetos pilotos em Brasília e, Recife com foco em planejamento urbano integrado e investimentos com tecnologias inovadoras,  foi apresentada  pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema), nesta terça-feira, (17/09), no 3º Encontro da Plataforma Global e 2ª Conferência Internacional para Cidades Sustentáveis, em  São Paulo.

 

“Apresentamos o projeto CITinova/GEF Brasília como sendo um grande catalizador de ideias e que nos dá a condição de testar boas práticas mundiais e captar recursos para sua replicabilidade e maior impacto rumo ao cumprimento do Plano Estratégico 2019-2060, baseado nas Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, afirma a subsecretária de Assuntos Estratégicos, Alessandra Andreazzi Peres. Ela chefia a delegação da secretaria no evento, composta também por gestores e técnicos das Subsecretarias de Gestão Ambiental e Territorial (Sugat) e de Gestão das Águas e Resíduos Sólidos (Sugars).

 

Alessandra ressalta que o Brasil recebe pela primeira vez um evento desta magnitude a respeito do tema Cidades Sustentáveis. “Estar aqui representando o Distrito Federal por meio da Sema é uma experiência que traz grande aprendizado quanto à mitigação dos erros cometidos, novas soluções, inovação e também para validar e compartilhar o que estamos fazendo com vistas ao cumprimento da Agenda 2030”, afirma.

 

 

Organizado conjuntamente pelo Programa Cidades Sustentáveis, pela Plataforma Global para Cidades Sustentáveis e pela Prefeitura de São Paulo, o evento recebeu o apoio estratégico do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações e do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF – Global Environment Facility).

 

Participam líderes governamentais, profissionais da cidade, sociedade civil, organizações internacionais e especialistas globais do setor privado para discutir como planejar, financiar e implementar trajetórias de desenvolvimento sustentável para as cidades.

 

 

 

CITInova/GEF

 

Entre as iniciativas previstas pelo projeto para o DF há medidas voltadas para a recuperação ambiental nas bacias hidrográficas do Descoberto e do Lago Paranoá, o combate à mudança do clima e o enfrentamento dos passivos do Lixão da Estrutural.

 

Ao todo, US$ 6,4 milhões serão investidos. Os recursos são provenientes de doação do Global Environment Facility (GEF), por meio de acordo de cooperação com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), em parceria com a ONU Meio Ambiente. Haverá uma contrapartida de R$ 156 milhões da Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) e de R$ 35 milhões, do Serviço de Limpeza Urbana (SLU), ao longo de quatro anos.

 

O comitê de acompanhamento do projeto é composto por sete órgãos distritais: Sema, Brasília Ambiental, Secretarias de Fazenda e Planejamento e,  de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), SLU e Caesb. Também fazem parte o Movimento Nossa Brasília, Associação Pró-Descoberto e o Conselho de Desenvolvimento Rural do Lago Norte.

 

Agenda 2030

 

Em setembro de 2015, representantes dos 193 Estados-Membros da ONU comprometeram-se a adotar medidas transformadoras para o desenvolvimento sustentável, indicadas no documento “Transformando o nosso mundo: Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável”. A Agenda propõe um plano de ação baseado em 17 objetivos para o Desenvolvimento Sustentável e 169 metas para erradicar a pobreza e promover a vida digna para todos, dentro dos limites do planeta.

 


Assessoria de Comunicação

Secretaria do Meio Ambiente