Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal

Inventário de Clima do DF

 

 

Na última década, tivemos os nove anos mais quentes da história. Essa é uma questão global referente ao clima no planeta. No período recente, tivemos temperaturas recordes no Brasil, em muitas localidades, inclusive em Brasília. O aquecimento global é uma realidade e tampouco há mais dúvidas que ele é produzido pela ação do homem, pela emissão de gases de efeito estufa e sua concentração histórica na atmosfera.

 

Nesse sentido, no Governo do Distrito Federal, por meio da Secretária do Meio Ambiente- SEMA, atualizamos o inventário das emissões antrópicas por fontes e remoções por sumidouros de gases de efeito estufa, contendo estimativas para o período de 2005 a 2018. Um instrumento importante para orientar as políticas públicas e para definir o tratamento mais eficiente e eficaz para mitigar as causas da mudança do clima.

 

Essa é uma ferramenta que visa aumentar a transparência sobre quais são as atividades econômicas mais significativas sobre o padrão de emissões em um dado período para um território específico. Da mesma forma, o inventário deve ser utilizado como base da Gestão das Políticas sobre Mudança do Clima sobre a qual se apoiarão as ações relacionadas às oportunidades de redução e a melhoria nos processos.

 

Em 2012, o Distrito Federal estabeleceu a sua Política de Mudança Climática (Lei nº 4.797, de 06 de março de 2012), que tem o objetivo de assegurar que o DF tenha uma contribuição no cumprimento dos propósitos da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC em inglês) e na formulação das políticas públicas – Plano de Mitigação e Plano de Adaptação, assim como no aprimoramento e regulamentação dessa Lei. Já, em 2016, o governo do DF publicou o primeiro inventário de emissões e remoções de gases de efeito estufa, contendo as estimativas para o período de 2005 a 2012.

 

O presente Inventário de emissões de gases de efeito estufa (2005 a 2018) é decorrente do processo de revisão, ajuste e atualização do Inventário de 2005 a 2012 do Distrito Federal, utilizando as melhores práticas internacionais e alinhadas com as 5 diretrizes do IPCC e da UNFCCC. Realizar tal tarefa foi um passo importante para honrar o compromisso do governo do Distrito Federal com o objetivo de elaborar e aplicar ações que irão subsidiar a elaboração da estratégia de Enfrentamento às Mudanças do Clima no Distrito Federal, inserida nos Planos de Adaptação e de Mitigação, em desenvolvimento pela Secretaria de Meio Ambiente do DF -Sema. Assim, neste relatório constam a coleta e a análise dos dados obtidos para a validação do inventário de emissões da capital federal do Brasil. O que compreende uma revisão das bases, a identificação dos dados e a quantificação das fontes de emissão de gases de efeito estufa.

 

No Distrito Federal, as principais origens desses gases são as emissões do setor de transportes rodoviários, que representam as mais importantes emissões de gases de efeito estufa do DF, no setor de energia. Já no Setor de Processos Industriais e Usos de Produtos o gás predominante o foi CO2 (dióxido de carbono) representando mais de 84% das emissões do setor em todos os anos, de 2005 a 2018, devido à produção de cimento.

 

Observa-se para o setor Agropecuário, a representatividade por gases de efeito estufa, que a predominância é N2O (óxido nitroso) nas categorias Emissões diretas de N2O de solos manejados e Emissões indiretas de N2O de solos manejados.

 

A partir dessa revisão e atualização, serão elaboradas propostas de mitigação para os diversos setores. Tais ações foram apoiadas com recursos internacionais do Projeto CITinova (Planejamento Integrado e Tecnologias para Cidades Sustentáveis), gerenciado pela Secretaria do Meio Ambiente, com o apoio do CGEE e a parceria do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações.

 

José Sarney Filho
Secretário do Meio Ambiente

 

 

 

 

Acesse os documentos na íntegra.

 

Apresentaçao do Inventário DF 2005-2018

e

INVENTÁRIO GEE ATUALIZADO – DF PERÍODO 2005-2018