Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/08/20 às 5h03 - Atualizado em 19/08/20 às 14h01

Monumento Natural Dom Bosco passa por ampla reforma

COMPARTILHAR

Rosi Araújo | Edição: Freddy Charlson

 

Começaram, nesta terça-feira (18), os trabalhos de revitalização do Monumento Natural Dom Bosco, onde está localizada a Ermida Dom Bosco. O local todo, incluindo a capela e o auditório, passará por limpeza, serão construídas rampas de acesso, e equipes farão a roçagem e poda de árvores.

 

O trabalho será executado por uma força-tarefa que reúne vários órgãos , numa ação que vai economizar cerca de R$ 500 mil aos cofres públicos, com mão de obra direta, como socioeducandos do sistema Prisional.

A Ermida é a primeira construção de alvenaria da cidade, inaugurada em 1957, antes mesmo de Brasília. Mais tarde, ao redor, foi criado o Parque Ecológico Ermida Dom Bosco – recentemente recategorizado como Monumento Natural.

 

A Secretaria de Governo e o Brasília Ambiental coordenam a ação que já revitalizou outros parques no DF. Entre 2019 e 2020 foram dez parques ecológicos: Saburo Onoyama, Cortado, Olhos D’Água, Águas Claras, Parque das Garças, Denner, Ezechias Heringer, Copaíbas, Tororó e Areal. A Ermida é o décimo-primeiro. A escolha do parque se deu porque neste mês é comemorado o Agosto de Dom Bosco, padroeiro da cidade.

 

A previsão de conclusão dos trabalhos é para o dia 30 deste mês, com a realização de uma missa. O lugar conta com 131 hectares de área verde e atua, também, como uma unidade de conservação ambiental. A superintendente de Unidades de Conservação, Biodiversidade e Água do Brasília Ambiental, Rejane Pieratti, explica que essas áreas vão além das práticas esportivas e de lazer.

 

De acordo com a superintendente, estão previstos serviços como pintura de meios-fios, roçagem, troca de fechaduras e lavagem do auditório e da capela, que receberá novos vidros e pintura.

 

Ainda será construída uma rampa de acesso para pessoas com dificuldade de mobilidade, instalação de novos corrimões nas escadas e reparos nos banheiros, como a troca das louças do banheiro, tudo viabilizado pela parceria entre Brasília Ambiental, Secretaria de Governo, Turismo, Cidades, CEB, Caesb, Detran, DER-DF, Funap, SLU, Novacap e Administração Regional do Lago Sul. As ações são uma solução eficaz, rápida e baixo custo para o orçamento do GDF.

 

Os brasilienses usam o espaço para andar de bicicleta, caminhar, fazer trilhas, piquenique e nadar no lago, além de visitar a capelinha. Uma companhia de ballet da cidade está usando o espaço para treinar. A professora de ballet Juliana Nobre contou que a trupe fará uma apresentação numa mostra de dança. E que optaram por um espaço amplo para ensaiar e gravar a apresentação. “Só temos a sala de aula e não a estamos usando muito. A nossa preferência é por espaços abertos e, por isso, escolhemos a Ermida”, afirmou a professora Juliana Nobre.

 

As alunas têm aproveitado o espaço. “O lugar transmite muito Brasília, é a cara da cidade: amplo, com várias linhas e aberto”, destacou a professora. A bailarina e servidora pública Alana Deeter contou que é diferente dançar na Ermida. “Não estamos acostumadas com esse ambiente e temos alguns desafios: o piso, o sol. Mas temos a vista maravilhosa e a amplitude do lugar que compensa e nos tira da zona de conforto”, afirmou.

“A população de Brasília tem forte ligação com a natureza, protege e frequenta os nossos parques. Por isso, desde o início do governo, a Secretaria do Meio Ambiente está junto com a força-tarefa de revitalização de parques” afirmou o secretário, Sarney Filho .

Turismo

A secretaria de Turismo, Vanessa Mendonça, enalteceu a integração do GDF em mobilizar e trabalhar com as empresas públicas e outros órgãos. Segundo ela, isso faz toda a diferença na recuperação dos monumentos, espaços públicos e parques da cidade. “A Ermida tem uma característica especial, existe uma exploração de ecoturismo, contemplação, náutico e religioso”, disse.

 

De acordo com a secretária, o local é importante para a população e está incluído no roteiro ecumênico da Setur. “ A cidade que é boa para sua população, também é boa para os turistas”, afirmou Vanessa Mendonça. Ela afirmou, ainda, que o governo está ressignificando o turismo religioso no DF, dando mais estrutura, qualificação e promoção.