Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal

Recuperação ambiental nas bacias hidrográficas do Descoberto e do Lago Paranoá


 

Recuperação ambiental nas bacias

hidrográficas do Descoberto e do

Lago Paranoá

 

Dentre as importantes entregas do projeto está prevista a recomposição de 80 hectares em áreas de nascentes, Áreas de Preservação Permanentes (APPs) e Áreas de Recargas, nas bacias do Descoberto e do Paranoá.

 

O principal objetivo é restaurar áreas degradadas de nascentes e APPs para continuidade de produção de água em qualidade e quantidades nestas duas bacias alvo do projeto. Essas ações de restauração também visam testar novas técnicas de restauração no bioma Cerrado, com p foco de mitigar as perdas. Já foram realizadas atividades de plantio de 10 hectares nos Parques de Águas Claras e Parque Riacho Fundo. A previsão é de plantar os demais 70 hectares de restauração de novembro de 2020 a março de 2021.

 

Essas ações envolvem realização de eventos com atores envolvidos nas ações de revitalização das duas Bacias Hidrográficas. O objetivo é construir pactos pela sustentabilidade com os principais atores e um maior engajamento nas políticas ambientais no âmbito do projeto.

 

Até julho de 2020 já foram realizadas as seguintes atividades:

 

• Contratação das ações para Restauração de Nascentes, APPs e áreas de recargas em 80 hectares nas Bacias do Descoberto e Paranoá; e
• Implantação de ações de restauração em 10 hectares nos Parques Águas Claras e Riacho Fundo;
• Realização de doze oficinas “Cultivando Água Boa” com os atores e lideranças nas bacias do Descoberto e Paranoá, com envolvimento de mais de 600 pessoas; e
• Capacitação de 80 técnicos e agricultores em sistemas agroflorestais (técnicos e produtores).

 

As próximas etapas incluem os seguintes passos:

 

• Elaboração dos diagnósticos e projetos executivos para implantação de ações de recuperação em 70 hectares;
• Implantação de mais 70 hectares; e
• Sistematização dos resultados.
• Para a realização das atividades, será feita a mobilização comunitária e realizadas oficinas com produtores rurais nas bacias alvo. Entre elas, está a oficina “Gênero e Pertencimento à Bacia”, a ser promovida pelo projeto para empoderamento das mulheres na gestão das águas das bacias-alvo, com foco na mobilização e educação socioambiental.