Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/03/18 às 21h10 - Atualizado em 30/10/18 às 11h04

Secretaria de Meio Ambiente doa muda de hortaliças na Vila Cidadã

COMPARTILHAR

 

Espaço no Fórum Mundial da Água também apresenta maquetes sobre captação de recursos hídricos

 

A Secretaria de Meio Ambiente do Distrito Federal (SEMA-DF) e o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) tem um espaço na Vila Cidadã dedicado a ensinar a população a cuidar dos recursos hídricos. Uma das formas apresentadas é a propagação da agricultura urbana para preservação do solo, produção de água e redução de lixo aterrado.

 

Além da explicação sobre como criar uma horta dentro de casa, na escola ou em espaços públicos, os visitantes que passam pelo local recebem mudas de hortaliças feitas na oficina “Horta Linda”, que aconteceu neste domingo (18). A iniciativa encantou Maria Delma da Silva, moradora do Piaui, que veio visitar a Vila Cidadã a convite do sobrinho Gabriel da Silva, de 13 anos. “Achei tudo muito interessante. Minha região é muito pobre e aqui estão apresentando varias soluções que posso utilizar quando voltar. Eventos como esse deveriam ser mais frequentes para termos consciência do que está acontecendo no mundo e o que podemos fazer para melhorar”, destacou. Já o estudante Gabriel estava ansioso para ver as experiências que estão sendo feitas no espaço.

 

Na oficina “Horta Linda” e no estande, técnicos da SEMA-DF ensinam a cultivar hortaliças na agricultura urbana. “Desenvolvemos a ideia de plantar, recuperar o solo, chamamos a criança para discutir a temática da planta, falamos de água, de reutilização com a compostagem. Tentamos passar um entendimento geral sobre como a agricultura urbana pode ajudar a solucionar problemas ambientais que temos hoje”, explica Glauco Cruz, coordenador de resíduos sólidos da Secretaria.

 

Segundo o secretario de meio ambiente, Igor Tokarski, quanto mais hortas urbanas existirem, menos espaço para entulho sobra na cidade. “Além das pessoas consumirem alimentos saudáveis, produzidos por eles mesmos, os espaços públicos são ocupados, cuidados e acabamos com a possibilidade de jogarem entulhos nesses lugares. Com isso diminuímos a proliferação de insetos transmissores de doenças e damos melhor tratamento ao solo e, consequentemente, aos recursos hídricos”.

 

O estande da SEMA-DF e do Ibram na Vila Cidadã também traz uma série de maquetes sobre bacia hidrográfica, impermeabilização do solo e captação de água. Os projetos inspiraram os estudantes de Biologia do Instituto Federal de Planaltina, Nathaly Lopes Silva, Eurico Lemes e Drielly Novais.

 

“O pessoal está capacitado para explicar aos visitantes como evitar a degradação do meio ambiente preservando a água. Essas questões interferem muito na nossa futura profissão”, avalia Nathaly. “Os espaços aqui estão muito educativos. Ajudam a abrir a nossa mente. As maquetes apresentadas aqui, por exemplo, nos ajudaram a ter uma ideia sobre o trabalho que temos que fazer para falar sobre a infiltração do solo, disse Eurico.

 

A conscientização das crianças é um grande incentivo para os pais levarem os filhos na Vila Cidadã. Renan Holdorf, servidor público, levou a filha Bianca, de 1 ano e 9 meses para se divertir com as atividades infantis e começar a aprender desde cedo a cuidar dos recursos naturais. “Tem espaço com bastante coisa visual e acho que desde cedo o contato com esse assunto de cuidarmos da água de preservamos todo o ciclo é importante. Acredito que, de alguma forma, a visita da Bianca aqui vai ser um tijolonho para formação de caráter de uma pequena cidadã”, disse ele.

 

A Vila Cidadã funciona no estacionamento do Mané Garrincha e é aberta ao público. A programação vai até o dia 23 de março, das 9h às 21h. Lá são realizadas, diariamente, atividades interativas, exposições, palestras, filmes e apresentações artísticas. O objetivo é ampliar a participação social para assuntos relacionados à água.