Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/03/18 às 18h33 - Atualizado em 30/10/18 às 11h04

Secretária de Meio Ambiente participa de debate sobre usos múltiplos da água na OAB/DF

COMPARTILHAR

Comunicação Sema com informações da OAB/DF 

 

Seminário é preparatório ao Fórum Mundial da Água. 

 

A Comissão de Direito Ambiental e Regularização Fundiária da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do DF (OAB/DF) realizou na terça-feira (13), o seminário “Usos Múltiplos da Água”, evento preparatório ao 8º Fórum Mundial da Água, que começa no próximo domingo (18 de março). O secretário de Meio Ambiente do Distrito Federal, Igor Tokarski, participou do seminário apresentando a relação entre a disponibilidade hídrica no DF e o consumo de água.

 

Segundo o secretário, as campanhas publicitárias, a alocação rural negociada, a redução de captações, as tarifas hídricas e o racionamento são exemplos das ações realizadas pelo governo de Brasília em prol do melhor manejo da água na capital.

 

“Em relação a este tema estamos trabalhando e traçando metas para que as gerações futuras não passem pelas situações de risco que passamos no ano de 2017”, disse o secretário, referindo-se à crise hídrica no DF.

 

O seminário teve o objetivo de provocar o debate sobre o uso racional da água. Para tanto, recebeu diversos especialistas no tema.

 

Jacques Veloso de Melo, secretário-geral da OAB/DF, participou da abertura do evento e suscitou a importância de debater sobre o tema.

 

“Vivemos numa cidade onde este recurso é escasso e deve ser muito bem administrado pela sociedade e pelos órgãos públicos responsáveis. Neste aspecto, nos alegra a disposição do Secretário de Meio Ambiente em vir a nossa Seccional para engrandecer o debate”, disse Jacques.

 

Juliano Nardes, presidente da Comissão de Direito Ambiental e Regularização Fundiária e mediador, relacionou a crise hídrica com o aumento da consciência social na utilização da água. O presidente contou que o racionamento resultou em até 40% na diminuição do uso da água por empreendimentos e condomínios da sociedade.

 

“A partir desses dados, percebemos que o cidadão do DF começa a respeitar cada vez mais os recursos hídricos. É importante também que a população conheça os equipamentos de reuso de água, que estão chegando cada vez mais acessíveis no mercado”, observou.