Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/03/19 às 15h15 - Atualizado em 18/03/19 às 11h24

SEMA capacita produtores rurais em Sistemas Agroflorestais

COMPARTILHAR

 

A Secretaria de Meio Ambiente (SEMA) realizou o segundo módulo de capacitação de produtores rurais na implantação de Sistemas Agroflorestais (SAFs mecanizados), nos dias 11 e 12 de março, no sítio Pinheiro, Capão da Onça, na região do Descoberto. A atividade, com a participação de 40 produtores, está inserida no Projeto GEF Cidades Sustentáveis (Promovendo Cidades Sustentáveis no Brasil por meio do Planejamento Urbano Integrado e de Investimentos em Tecnologias Inovadoras).

 

Com o desenvolvimento do segundo módulo começou a implantação efetiva dos SAFs mecanizados de 20 hectares previstos no Paranoá e no Descoberto, as duas principais bacias de abastecimento de água da população do Distrito Federal. O projeto definiu o plantio inicial de quatro hectares em oito propriedades rurais, além da capacitação de 40 agricultores, desde os princípios básicos de funcionamento do sistema até sua mecanização.

 

“Vamos testar essa nova técnica em propriedades da agricultura familiar, apoiando diretamente esses pequenos produtores a se fortalecerem na atividade rural, em melhores condições ambientais, com geração de renda”, disse o secretário de Meio Ambiente, José Sarney Filho”.

 

Os produtores conheceram o preparo do solo mecanizado, com a utilização de uma das máquinas adquiridas pelo projeto, e tiveram um reforço nos princípios trabalhados no primeiro módulo, a partir da análise do planejamento da área e das práticas de implantação no campo. Eles participaram, também, de atividades variadas, como técnicas de adubação, plantio de sementes, mudas e estacas.

 

Elisandro Martins Cardoso é um dos produtores que será beneficiado pelo projeto. Ele comemora a implantação de agro-floresta em meio hectare de sua propriedade, a partir de sábado (16). “Estou muito feliz em participar do curso e agora vou começar plantar água. O Distrito Federal está precisando muito. Eu também só penso em plantar. Junto semente o tempo todo para plantar”, disse.

 

O produtor destacou ainda a importância do uso de máquina em benefício do sistema. “Eu vim da roça, em Goianésia, e naquele tempo nem havia trator direito – era na enxada. Agora estamos com uma máquina, que vai afofando a terra e que oferece mais habilidade, rapidez e ajuda a expandir a terra mais ainda”, explicou Elisandro.

 

Morador da região do Córrego do Urubu, o produtor Vitor Ramos, ficou  empolgado com o projeto e as possibilidades da inovação tecnológica da agrofloresta mecanizada. “É um sistema fantástico que recompõe e reestrutura as características físicas, químicas e biológicas do solo. O sistema favorece ambientalmente em todos os aspectos, desde a conservação da água, dos mananciais e das áreas de recarga. Também é uma solução social, porque o produtor começa a ter renda, com essa subsistência da terra”, disse.

 

A capacitação dos produtores SAFs mecanizados começou no dia 28 de fevereiro, no sítio Semente, no Lago Oeste, com a realização do primeiro dos quatro módulos previstos. Serão realizadas ainda mais duas etapas, no segundo semestre, em local a ser definido, destinada s ao aprofundamento de conceitos, técnicas e prática do sistema pelos produtores.

 

GEF Cidades Sustentáveis

 

O Projeto, financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF, sigla em inglês), é uma realização do Ministério da Ciência, Tecnologia, Comunicação e Inovação (MCTIC) em parceria com a ONU Meio Ambiente, Secretaria do Meio Ambiente do DF (SEMA), Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGRR), Programa Cidades Sustentáveis (PCS) e Agência Recife para Inovação e Estratégia.

 

 

 

 

 

 

Secretaria de Meio Ambiente (SEMA)

Assessoria de Comunicação Social

(61) 99360-1385