Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/06/20 às 23h09 - Atualizado em 2/06/20 às 23h09

Sema lança catálogo virtual da exposição “Salve Meu Cerrado”

COMPARTILHAR

Os alunos João Vitor Alves  e Cleber Lucas da Silva, da Escola Classe 40, de Ceilândia; Adrielly Pereira, do Centro de Ensino Fundamental 08, de Sobradinho; e centenas de outros jovens e crianças terão a oportunidade de rever a tela que pintaram, juntamente com seus colegas de classe, para a exposição “Salve Meu Cerrado”.

 

 

Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado no dia 5 de junho, a Sema lança o catálogo virtual da exposição, com obras produzidas por alunos de 37 escolas públicas de Ceilândia, Gama, Tamanduá, Guará, Estrutural, Núcleo Bandeirante, Planaltina, Córrego do Meio, Recanto das Emas, Samambaia, Sobradinho e Taguatinga. O catálogo está disponível na plataforma Issu, link na imagem abaixo.

 


Exposição Salve meu Cerrado

Exposição Salve meu Cerrado


A mostra, composta por um grande varal ao ar livre com as telas, integrou a Semana do Cerrado de 2019 e ficou exposta durante dez dias no gramado do CCBB, encantando os visitantes. “Professores e estudantes estão de parabéns, a exposição está linda!”, disse à época Marina Bicalho.

 

Para o secretário do Meio Ambiente, Sarney Filho, o lançamento do catálogo virtual é uma ótima oportunidade de homenagear o cerrado. “Por meio das pinturas, as crianças e os jovens puderam conhecer melhor o bioma onde vivem, e, dessa forma, estão mais preparados para o que mais desejamos: o desenvolvimento sustentável do Distrito Federal”, lembrou ele.

 

 

A criação do catálogo virtual contou com o apoio do CITinova – Planejamento Integrado e Tecnologias para Cidades Sustentáveis, um projeto multilateral realizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e apoio do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês). No Distrito Federal, é executado pela Sema, no âmbito do GDF, e gerido pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE).

 

Varal de pinturas

 

As pinturas foram realizadas sobre grandes peças de tecido, com imagens alusivas à fauna e à flora do Cerrado. Foram concebidas e executadas por alunos de escolas públicas do DF participantes do Projeto Parque Educador, uma parceria entre a Secretaria de Estado do Meio Ambiente, a Secretaria de Educação e o Instituto Brasília Ambiental (Ibram). O projeto, iniciado em 2018, recebe alunos nas unidades de conservação distritais, para a realização de atividades de educação integral, ambiental e patrimonial.

 

O resultado foi realmente surpreendente, tanto pela qualidade e riqueza estética, quanto pela sensibilidade com que as crianças expressaram conteúdos de preservação da biodiversidade nativa e de alerta para o risco dos incêndios que destroem a vegetação e os animais silvestres do bioma. Com o catálogo, o público poderá ver o trabalho dos alunos participantes e se encantar também com a beleza das paisagens retratadas.

 

 

No Parque Três Meninas, uma das unidades de conservação do DF, por exemplo, as turmas usaram tintas naturais, preparadas com diferentes solos do cerrado. Segundo a professora Tânia Borges, da Escola Classe 40 (Ceilândia), os alunos ficaram muito empolgados com o trabalho. “Gostaram demais de participar e de produzir as tintas. Ver de perto o resultado, não só deles, mas dos outros, é muito gratificante”, afirmou.

 

Para a aluna do CEF 08, Adrielly Pereira, juntar-se aos colegas para fazer um trabalho coletivo foi o que mais chamou a atenção. “Antes de decidir o que íamos retratar, contamos uma história, visualizamos seus elementos e depois passamos para o tecido, tudo isso ao ar livre”, contou.

 

 

Assessoria de Comunicação

Secretaria do Meio Ambiente