Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/09/19 às 16h50 - Atualizado em 12/09/19 às 17h59

Sema participa de abertura do IX Encontro e Feira dos Povos do Cerrado

COMPARTILHAR

Foto: Acervo ISPN/Méle Dornelas

 

O IX Encontro e Feira dos Povos do Cerrado foi aberto na noite desta quarta-feira (11/09), na em Brasília/DF. A Coordenadora Geral da Rede Cerrado, Maria do Socorro Lima prestou homenagem a Dona Dijé, liderança do movimento das quebradeiras de coco do Maranhão, que morreu no ano passado. Com muita emoção, ela puxou um cântico acompanhado pelos presentes. Em sua fala, Sarney Filho saudou as comunidades tradicionais do Cerrado. “São vocês todos os protetores do que ainda resta do bioma que já perdeu 50% de sua cobertura original”, afirmou o secretário.

 

Maria do Socorro, que é também integrante do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB) e do Instituto Sociedade, População e Natureza do Rede Cerrado enalteceu o trabalho de dona Dijé.  “Hoje, nesse exato momento, há um ano, na abertura no Café do Cerrado, eu estava com Dona Dijé, três dias antes da sua morte. Ficou na memória e eu não consigo esquecer jamais. Era uma companheira forte, de luta, que morreu por causa do desconforto, do desrespeito, do desaforo, do desmonte que testemunhou ao longo da vida. Sufocou tanto, que ela faleceu”,

 

Maria de Jesus Ferreira Bringel era o nome de batismo de Dona Dijé. No ano passado, no Dia Nacional do Cerrado, 11 de setembro, ela tomou posse, em Brasília, como conselheira nacional de povos e comunidades tradicionais, representando as quebradeiras. Morreu três dias depois, já em sua casa, de infarte fulminante. O objetivo da instância era garantir a implementação da Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (PNPCT), instituída pelo Decreto Nº 6.040, de 7 de fevereiro de 2007.

 

Compromisso

 

Sarney Filho lembrou que quando foi ministro do Meio Ambiente pela primeira vez, entre 1999 e 2002, procurou fortalecer o extrativismo no Brasil e os povos tradicionais do Cerrado, prosseguindo nesse trabalho como coordenador da Frente Parlamentar Ambientalistas e depois novamente como ministro.

O secretário disse não ser contra o desenvolvimento, mas acredita que deve levar em consideração os direitos difusos da sociedade e não os individuais. “O Cerrado é um bioma forte, cuja árvore cresce tanto para cima quanto para baixo, o que ajuda a protegê-lo das queimadas. As raízes fundas ajudam na permeabilidade da água. Nós temos uma preciosidade protegida por vocês. Quem vive do e no Cerrado, como vocês, merece nosso respeito e também por parte da Secretaria de Meio Ambiente”, afirmou.

 

Dificuldades

 

Maria do Socorro explicou que o Encontro foi suspenso por um tempo (o último foi em 2014) por conta da condição financeira e da desarticulação temporária da Rede. “Graças a Deus, da união de todos diante dos grandes desafios do momento político que estamos vivendo, das organizações filiadas à rede e aos parceiros foi possível realizar este evento, muito importante para todos nós”, disse.

 

De acordo com ela, a necessidade de todos de andar juntos, se dar as mãos e se unir em nome de uma causa chamada Cerrado, foi o que fez o evento voltar a acontecer. “Estamos aqui para discutir e mostrar para todos a importância do Cerrado e mais ainda no combate aos desmatamentos, desmontes, queimadas, envenenamentos e tudo de ruim que está acontecendo nas florestas do Cerrado e da Amazônia”, disse.

 

De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), os povos e comunidades tradicionais somam cinco milhões de brasileiros.

 

 

 

O encontro

 

Com o tema Pelo Cerrado Vivo: Territórios, Diversidades e Democracia, o evento tem a parceria da Secretaria de Meio Ambiente e segue até o sábado, 14. Aberto ao público e gratuito, a programação inclui oficinas pela manhã e à tarde. A partir das 17h, o público tem acesso a barracas de produtos da agricultura familiar e apresentações culturais como bumba meu boi, jongo, coco, forró, maracatu e cordel.

 

Acesse aqui a programação completa.

 

Secretaria de Meio Ambiente (SEMA)

Assessoria de Comunicação Social