Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/11/21 às 17h48 - Atualizado em 11/11/21 às 15h07

Brasil, Índia e Ruanda discutem governança pelo clima na COP26

COMPARTILHAR

 

As contribuições do Distrito Federal ao cumprimento das metas do Acordo do Clima de Paris foram destacas hoje pelo secretário do Meio Ambiente, Sarney Filho durante o side event “UrbanShift: Transforming cities for people and planet through multi-level governance”, na #cop26, em Glasglow, na Escócia. “Muito boa a troca de experiências entre os representantes do Brasil, Índia e Ruanda debatendo diferentes formas de governança das ações pelo clima”, afirmou

 

O secretário abordou os mecanismos de cooperação adotados pelo governo do Distrito Federal na agenda climática.
As metas estabelecidas visam a redução das emissões de gases de efeito estufa em 20% até 2025 e 37,4% até 2030. Efetivamente a redução de emissões alcançadas por ações de mitigação em 2030 será superior a 4,8 milhões de toneladas de CO2 equivalente. O que representa por habitante uma diminuição de 51% na emissões per capita.

 

“A contribuição do Distrito Federal, que é a capital do Brasil, se transforma em um ambição a mais, do que as adotadas pelo nosso país. Muito importante para o momento em que vivemos”, ressaltou Sarney Filho, listando as premissas de atuação das ações do DF como: medidas nos setores de transporte rodoviário, mudança de uso da terra e floresta, principais emissores de gases de efeito estufa no DF, além da preservação dos recursos hídricos, entre outros”, afirmou.

 

 

 

Subnacionais

 

A responsabilidade dos estados brasileiros diante do atual cenário, que se soma às responsabilidades da União, foi outro ponto abordado por Sarney Filho. No DF, a governança pelo clima, envolve articulação entre os órgãos de governo, parcerias locais e internacionais e com organismos multilaterais, como a Sema tem realizado.

 

“As ações do #projetocitinova, desenvolvidas pela Sema DF, são exemplo de cooperação para mitigação dos efeitos das mudanças do clima”, citou.

 

Além de falar dos mecanismos de cooperação adotados por Brasília, o Secretário respondeu sobre os principais objetivos locais na agenda climática. Foram destacadas medidas dos setores de transporte rodoviário e de uso da terra, mudança de uso da terra e floresta, principais emissores de gases de efeito estufa no DF, entre as quais o incentivo ao uso de biocombustível, a ampliação do Sistema de Ônibus de Trânsito Rápido (BRT) e a criação de um programa de proteção florestal.

 

Além do secretário, representaram o Brasil no painel o secretário de Pesquisa e Formação Científica do @mcti, Marcelo Morales, e o coordenador do @cgee, Marco Lobo.

 

Assessoria de Comunicação

Secretaria do Meio Ambiente