Governo do Distrito Federal
24/05/22 às 17h18 - Atualizado em 24/05/22 às 17h33

Pacto pela Sustentabilidade foi destaque em estande da Sema na AgroBrasília

Cerca de 300 pessoas assinaram o documento que propõe o engajamento da população em ações ambientais

 

 

 


 

Um Pacto pela Sustentabilidade foi assinado por visitantes da AgroBrasília, evento voltado ao agronegócio, que ocorreu entre os dias 17 e 21, no Parque Parque Tecnológico Ivaldo Cenci . A proposta foi aceita por cerca de 300 visitantes do estande da Secretaria do Meio Ambiente (Sema). No espaço, de 200m2 também estavam expondo seu trabalho, a Secretaria de Agricultura (Seagri), Emater, Ceasa, Brasília Ambiental e o Grupamento de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF).

 

O documento explicitava que a Sema contribui para o alcance dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e da implementação da Agenda 2030 no Distrito Federal, por meio das ações do Projeto CITinova. Em especial com os ODS 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis, 15 – Vida Terrestre, ODS 13 – Ação contra a Mudança Global do Clima, ODS 6 – Água Potável e Saneamento e ODS 16 – Paz, Justiça e Instituições Eficazes.

 

 

Entre os itens de compromisso, estavam contribuir para o fortalecimento de redes locais e regionais nas temáticas de boas práticas de sustentabilidade; buscar e disponibilizar informações de forma qualificada e democrática nas redes locais e regionais sobre as temáticas de boas práticas de sustentabilidade, em especial no Sistema de Informações Ambientais do DF, o Sisdia e; atuar para fortalecer ações de proteção à água, que possam colaborar com as distintas áreas e segmentos da segurança hídrica e climática no DF.

 

Os produtores rurais Janivaldo da Conceição Gonçalves e sua esposa, Ana Paula de Souza, aceitou o compromisso de, em sintonia com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e órgãos vinculados ao Governo do Distrito Federal, dedicar esforços para fortalecer as atividades citadas acima junto à comunidade.

 

Ao passear pela feira, eles pararam no estande da Sema e solicitaram mais informações sobre o Sistema Agroflorestal (SAF) mecanizado, implantado em áreas rurais do DF pelo projeto CITinova. “A gente veio com a ideia de conhecer mais sobre agricultura sustentável. Criamos mini-vacas e acaba que isso gera um certo impacto, então queremos mitigá-lo, fazendo um reflorestamento, preservando a natureza e podendo compartilhar este trabalho com os vizinhos”, afirmou.

 

Para Janivaldo, assinar o pacto é saber que a sociedade está se aproximando do objetivo da preservação da natureza, o que considera muito interessante.

 

PREVENÇÃO E COMBATE AO FOGO

 

Parceiros do Ppcif, integrantes do CBMDF aproveitaram a ocasião para conversar com o público sobre o trabalho de prevenção a queimadas e combate ao fogo , sobretudo no período mais intenso da seca. O Coronel Denilson, junto com a equipe, representou o Grupamento de Proteção Ambiental.

 

 

Para ele, é muito importante alinhar as iniciativas com os outros órgãos e conseguir ter uma atuação integrada, inclusive, com os produtores e a comunidade rural. “Com o objetivo de trabalhar bastante o tema da prevenção, já que a gente sabe que a maioria dos incêndios é causada por ações humanas que poderiam ser evitadas”, destacou o Coronel Denilson.

 

Com o público da feira, disse, o mote é a prevenção. Para que seja evitado o uso do fogo com o objetivo de limpeza e renovação de pasto. “É bom que os restos de poda sejam utilizados em compostagem, já que se trata de um material rico que o agricultor tem e pode utilizar ao invés de queimar”, acredita.

 

RESÍDUOS SÓLIDOS

 

Na opinião do coordenador de Implementação da Política de Resíduos Sólidos da Sema, Glauco Amorim, a feira foi uma ótima oportunidade para a Sema demonstrar as principais ações, empreendimentos e projetos voltados ao meio ambiente.

 

“No âmbito da agenda de resíduos sólidos da Sema, trouxemos parte dos trabalhos, projetos e ações realizadas nesta gestão, destacando-se a logística reversa de agrotóxicos e suas embalagens, o fechamento do antigo lixão da estrutural, e os estudos realizados do âmbito do projeto CITInova que produziram produtos importantes, dentre eles o diagnóstico da contaminação de águas solos e rochas do antigo lixão da estrutural visando futura remediação do local”, disse.

 

 

A gerente de Resíduos Sólidos da Sema, Rita Pereira Borges de Jesus, ficou feliz em poder conversar com o público, o que para ela, foi uma experiência muito rica, com a qual foi possível perceber que já há uma sensibilidade para os temas sobre os quais a Sema queria chamar a atenção.

 

“Apresentamos algumas políticas públicas de gestão dos recursos hídricos e sólidos e constatamos que havia um olhar bastante sensível do público da feira, que se traduziu na boa receptividade e ainda no interesse pelo Pacto pela Sustentabilidade e sua assinatura”, finalizou Rita Pereira.

 

CITInova – É um projeto multilateral executado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), com recursos do Global Environment Facility (GEF) e implementação a cargo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). A execução no DF se dá por meio da Sema, em parceria com o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE).

 

Assessoria de Comunicação

Secretaria do Meio Ambiente