Governo do Distrito Federal
7/03/23 às 18h43 - Atualizado em 13/03/23 às 23h44

Primeira reunião de 2023 do Comitê Local do Projeto CITinova apresenta avaliação de ações

Representantes das organizações participantes do Comitê.

Representantes das organizações participantes do Comitê.

 

No dia 1º de março, foi realizada a décima primeira reunião do Comitê Local do Projeto (CLP) CITinova de planejamento integrado e tecnologias para cidades sustentáveis em Brasília/DF, na Biblioteca Nacional. O Comitê tem papel consultivo e atua no sentido de ajudar a refletir sobre os avanços do projeto, como alcançar as metas previstas e a função de divulgar e internalizar os resultados.

 

O objetivo da primeira reunião de 2023 foi alinhar perspectivas e apresentar entregas sobre os avanços do Projeto CITinova com os novos representantes institucionais, que assumiram após mudanças administrativas recentes, cuja execução vai até maio de 2023. ”Ressalto a importância do evento para promover a divulgação e a internalização do Projeto buscando a melhor aplicação dos resultados e ações de continuidade em parcerias”, afirmou a subsecretária de Assuntos Estratégicos da Secretaria de Meio Ambiente e Proteção Animal, Márcia Coura.

 

Dentre os principais tópicos, foi apresentado um resumo de resultados alcançados pela Sema com o Projeto CITinova nas áreas de desenvolvimento do Sistema Distrital de Informações Ambientais (Sisdia). Um diagnóstico e estudo de remediação do antigo Lixão da Estrutural também foi compartilhado na reunião. Entregas relativas ao enfrentamento das mudanças do clima, à restauração de vegetação de Cerrado em nascentes e ao fomento de boas práticas agrícolas nas bacias do Descoberto e Paranoá também foram discutidas no encontro.

 

A construção de usinas de energia fotovoltaica no DF com foco em prédios públicos tomou um espaço importante na reunião. Além da usina central de energia fotovoltaica no Parque de Águas Claras, outros sistemas de geração de menor porte serão instalados também nos parques ecológicos Ezechias Heringer, no Guará; Dom Bosco, no Lago Sul; e do Cortado, em Taguatinga, onde temos o Hospital Veterinário Público de Brasília.

 

O Jardim Zoológico e o Jardim Botânico de Brasília receberão duas unidades de recarga para veículos elétricos. Todos esses componentes formam o Sistema Unificado de Geração de Energia Fotovoltaica do DF, cujo arranjo de compensação energética poderá beneficiar um conjunto de órgãos públicos. “O mais importante que eu acho sobre esse arranjo de energia fotovoltaica é que é um arranjo novo no setor público e que poderá servir de referência”, explicou a coordenadora executiva do Projeto CITinova, Nazaré Soares.

 

A subsecretária de Assuntos Estratégicos da Secretaria do Meio Ambiente e Proteção Animal do DF, Márcia Coura, apresentou as ações que já foram executadas e as que ainda serão

 

A princípio, a energia gerada pelas usinas será distribuída para atender as 32 Unidades de Conservação do DF e mais 14 prédios públicos, inclusive a sede do Ibram/DF, sede da Sema/DF e 10 escolas públicas. A economia de recursos financeiros que seriam usados para pagamento de energia elétrica poderá ser reinvestida pelo GDF em outras ações de melhoria de qualidade de vida da população.

 

Também foi falado das ações de mobilização social, incluindo escolas da rede pública distrital. Houve destaque para a importância desses resultados na implementação de 13 políticas relacionadas ao meio ambiente e aos temas trabalhados, bem como a relevante contribuição para que o GDF alcance as metas de 11 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030.

 

Atualmente, são membros do CLP CITinova 11 instituições do GDF: Sema/DF, Secretaria de Planejamento, Orçamento e Administração do DF (Seplad) , Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação do DF (Seduh), Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Serviço de Limpeza Urbana do DF (SLU), Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb), Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater), Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF (Secti), Secretaria de Transporte e Mobilidade do DF (Semob). Participam também quatro representantes de organizações sociais: Conselhos Rurais de Desenvolvimento Sustentável do Lago Norte, Fundação Mais Cerrado, Federação da Agricultura e Pecuária do DF (Fape) e Associações de Empresa do Mercado Imobiliário do DF (Ademi).

 

Na oportunidade, também foram convidados a participar da reunião, os parceiros do projeto e representantes do Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas (Pnuma) e outras organizações sociais, como a Funatura.

 

CITinova

 

O CITinova é um projeto multilateral que oferece soluções tecnológicas, metodologias e ferramentas de planejamento urbano. Ele é realizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), com apoio do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês), implementação do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e execução da Secretaria do Meio Ambiente do DF, em parceria como Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE).

 

Assessoria de Comunicação
Secretaria do Meio Ambiente e Proteção Animal