Governo do Distrito Federal
10/10/22 às 10h43 - Atualizado em 10/10/22 às 11h07

Projeto distribuirá cinco mil mudas de plantas medicinais para a comunidade

Iniciativa da Sema e Movimento Comunitário do Jardim Botânico envolve ações de educação ambiental, treinamento e capacitação

 

Voluntários da comunidade e profissionais ajudam e orientam na realização dos cursos, que serão oferecidos por etapas | Foto: Divulgação / Sema

 

 


Foi assinado neste sábado, no Centro de Práticas Sustentáveis – CPS, no Jardim Botânico, o Termo de Fomento entre a Secretaria do Meio Ambiente do DF e o Movimento Comunitário do Jardim Botânico (MCJB), que permitirá a distribuição de cinco mil mudas de plantas medicinais para a comunidade da região.

 

“Desde os tempos medievos. Nossos sábios ancestrais. Quando surgia um problema. De doenças corporais. Seu médico e sua farmácia. Estavam na eficácia. Das plantas medicinais”. Este foi o trecho do cordel de Manuel Monteiro que marcou a abertura do projeto Comunitário.

 

“O projeto tem o objetivo de trazer o conhecimento do uso das ervas medicinais mais comuns, que muitas pessoas não conhecem e os benefícios que elas trazem para a saúde. Muitas vezes as pessoas compram ervas medicinais, mas não sabem usar e elas se perdem”, ressaltou a técnica em meio ambiente, Luciana Sousa Barros, que faz parte iniciativa.

 

“Fico muito feliz de ver a comunidade do Jardim Botânico e do Jardim Mangueiral se apoderando do Centro de Práticas Sustentáveis com ações tão importantes como esse projeto do viveiro de plantas medicinais, que além de conscientização ambiental para jovens e adultos, beneficiará toda a comunidade”, afirmou subsecretário de Gestão das Águas e Resíduos Sólidos, João Carlos Couto Lóssio Filho, que representou o secretário Sarney Filho.

 

 

Voluntariado

 

A atividade conta com o apoio e participação de voluntários da comunidade e de profissionais para orientação e realização dos cursos que serão oferecidos por etapas. Plantas como erva-doce, alecrim, estão entre as que serão cultivadas.

 

Na ocasião também foram realizadas atividades como oficina de orégano, identificação das mudas do mosaico existente no local e ação voluntária de revitalização do viveiro com a participação da comunidade e entrega de certificados.

Voluntariado

 

A reativação do viveiro foi comemorada pelo voluntário, o geógrafo José Carlos Maciel Santos, que recitou o cordel durante a inauguração neste sábado. “Teremos remédio na porta de casa. A reativação desse viveiro será muito útil para a comunidade, pois poderemos levar as plantas e com o conhecimento adquirido aqui. Vamos cultivar, saber usar e ainda seremos beneficiados com o cheiro que elas têm. Eu apoio muito”, disse.

 

 

Para o chefe da Assessoria de biodiversidade da Secretaria Executiva da Sema, Leonel Generoso “a iniciativa trará mais consciência para a população no cuidado da própria saúde e o Centro de Práticas Sustentáveis é o espaço ideal para a comunidade se sentir acolhida e aprender uma séria de coisas boas para melhorar sua qualidade de vida”.

 

Integrante do movimento Comunitário, Licínio Neto, destacou a importância da iniciativa. “Queremos que esse espaço comunitário seja ocupado por atividades que permitam a todos trabalhar conjuntamente”, disse.

 

Construído com projeto arquitetônico sustentável, o CPS é um espaço do Instituto Brasília Ambiental que funciona como centro de educação e sensibilização social sobre meio ambiente.

 

Assessoria de Comunicação

Secretaria do Meio Ambiente