Governo do Distrito Federal

Vídeos do CITnova

 


 

Vídeos do CITinova

 


 

 


 

 

A Secretaria do Meio Ambiente realizou um webinário, no dia 24 de março de 2022, para apresentar os resultados de iniciativas do Governo do Distrito Federal que têm colaborado com a preservação dos recursos hídricos a partir da recuperação da vegetação nativa. O evento fez parte da programação da Semana da Água, cujo dia mundial foi na terça-feira, 22 e contou com o apoio do Projeto CITinova de Planejamento Integrado e Tecnologias para Cidades Sustentáveis, do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTI).

 


 

Celebrar o Cerrado e, ao mesmo temo, alertar que o bioma, berço das águas brasileiras, corre riscos. Foi assim que a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) realizou a Semana do Cerrado, de 11 a 19 de setembro de 2021.

 

Com o tema “Cuidar do clima, cuidar da gente”, o evento teve como objetivo atrair a atenção da população para os impactos das mudanças do clima e soluções para seu enfrentamento, além de mobilizar e conscientizar a sociedade para a importância de ações de conservação e preservação ambiental.

 

O Webinário Cerrado será teve quatro painéis sobre os seguintes temas:

Painel 1 – Recuperação da orla do Lago Paranoá – resultados e vivências
Painel 2 – Coleta Seletiva em Condomínios, como fazer?
Painel 3 – Mulheres do Fogo

Painel 4 – Pesquisa sobre Capivaras na Orla do Lago

 

 


Celebrar o Cerrado e, ao mesmo temo, alertar que o bioma, berço das águas brasileiras, corre riscos. Foi assim que a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) realizou a Semana do Cerrado, de 11 a 19 de setembro de 2021. Com o tema “Cuidar do clima, cuidar da gente”, o evento teve como objetivo atrair a atenção da população para os impactos das mudanças do clima e soluções para seu enfrentamento, além de mobilizar e conscientizar a sociedade para a importância de ações de conservação e preservação ambiental.

 

O Webinário Clima discutiu ações e propôs reflexões entre a Sema e órgãos vinculados à secretária. Foram três debates:

Painel 1 – Uso do Sistema Distrital de Informações Ambientais (SISDIA);
Painel 2 – Emissões de gases do efeito estufa no DF

Painel 3 – Palestra “Recomposição de Vegetação e Sistemas Agroflorestais Mecanizados”



Há detalhes na beleza do nosso Cerrado que são incomparáveis. Entre os projetos da Sema em parceria com o CITinova é a preservação do bioma e isso inclui cuidar e recuperar as nascentes.

 

Durante a Semana do Cerrado 2021, trouxemos esse tema para que muitos saibam o quão importante a preservação destas nascentes e tudo que permeia o Cerrado brasileiro.

 


 

Já falamos que nossas trilhas foram um sucesso, né?

 

Antes de pensar em todo o lazer e diversão que as trilhas nos proporcionam, realizamos elas para – além disso – uma jornada de entendimento e conscientização sobre a beleza do nosso cerrado.

 

O Parque do Recanto das Emas é um desses palcos demonstrativos da beleza deste bioma. Assista ao vídeo e saiba mais.

 



Com o apoio do @projetocitinova, trabalhamos com pequenos agricultores das Bacias do Descoberto e Paranoá, oferecendo capacitação e consultorias para a recuperação de áreas degradadas e implementação de Sistemas Agroflorestais Mecanizados.

 

Cuidar das nascentes e do Cerrado é fundamental para que a sua torneira continue funcionando.

 



Conheça o SISDIA

 

Nele você pode acessar uma diversidade de informações ambientais produzidas por diversos órgãos governamentais distritais.

 

O sistema é uma iniciativa da SEMA-DF, e conta com apoio do Projeto CITinova, para o desenvolvimento sustentável das cidades e vem se consolidando como uma plataforma importante. Usuários de 27 países e 167 municípios brasileiros, além das regiões administrativas do DF, já utilizaram o sistema para consulta.

 



 

Diagnóstico de contaminação e remediação do Lixão da Estrutural

 

Durante quase 60 anos, o antigo Lixão da Estrutural recebia resíduos vindos de todas as partes do Distrito Federal.

 

E com o apoio do Projeto CITinova, realizamos um diagnóstico detalhado para dimensionar o grau de contaminação do solo, das águas superficiais e subterrâneas no local.

 

É a Sema e o Projeto CITinova mostrando que o futuro dos aterros sanitários passa por uma boa gestão dos nossos resíduos sólidos.

 


 

O futuro não é mais um planejamento ou uma ideia. Ele é real e está entre nós.

 

Por isso, a Sema e o Projeto CITinova tem duas palavras para esse futuro: desenvolvimento e sustentabilidade. E a chave para isso tudo é a energia. Assista ao vídeo e entenda qual é o primeiro passo para essa jornada sustentável.

 



Agora, a Sema e o Projeto CITinova querem dar um passo para um futuro mais sustentável.

 

Assista o vídeo e você vai descobrir como isso está mais próximo do que nunca.

 


Promover a comunicação entre governo e sociedade é o objetivo do Portal do Sistema Distrital de Informações Ambientais (Sisdia), que entrou no ar a partir desta quinta-feira (29/04), no endereço www.sisdia.df.gov.br. A plataforma de inteligência ambiental-territorial é desenvolvida pela Secretaria do Meio Ambiente (Sema) em parceria com o Projeto CITiNova, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, e torna o Governo do Distrito Federal (GDF) pioneiro na construção de um portal ambiental aberto à população. O Portal do Sisdia também é resultado da articulação de 18 bancos de dados governamentais e da Universidade de Brasília (UnB).

 



Na Semana Mundial da Água, a segurança hídrica do Distrito Federal tem sido o foco de eventos que reúnem gestores públicos e instituições para debater políticas públicas executadas para proteger ou recuperar áreas importantes para a manutenção dos recursos hídricos do DF. Na quinta-feira, (25/3), projetos desenvolvidos pela Secretaria de Meio Ambiente no âmbito do Projeto CITinova foram apresentados em um evento online. As iniciativas estão presentes nas Bacias Hidrográficas do Descoberto e do Paranoá e na Orla do Lago Paranoá.

 



Risco e Sustentabilidade Hídrica no Distrito Federal: Uma visão do presente e do futuro foi o tema do webinar que a Secretaria do Meio Ambiente do Distrito Federal e o Projeto CITinova realizaram na tarde do dia 22 de março, para marcar o Dia Mundial da Água. Na oportunidade, foram apresentados os resultados do estudo sobre o índice de sustentabilidade nas bacias do Descoberto e Paranoá e na micro bacia do Rodeador.

 


As obras foram produzidas por estudantes de escolas públicas que integram o Projeto Parque Educador, uma parceria entre a Sema, a Secretaria de Educação do DF e Brasília Ambiental. A exposição fez parte da Semana do Meio Ambiente em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado no dia 5 de junho. Link para o catálogo virtual: https://issuu.com/ascom-sema.df.gov/

 


O Sistema Agroflorestal (SAF) mecanizado, projeto-piloto do CITinova implementado pela Sema em 20 hectares nas bacias do Descoberto e Paranoá, beneficiou 37 agricultores familiares com o plantio de agrofloresta.

 

Um dos critérios para a seleção foi e garantia de igualdade de oportunidade para ambos os sexos, ou seja, pelo menos 50% para proprietárias mulheres, importante força na agricultura de todo o país.

 

Por meio do plantio consorciado de espécies nativas do Cerrado, a iniciativa tem o objetivo de recuperar a vegetação, garantir a segurança hídrica, auxiliar na geração de renda e contribuir no fortalecimento da representatividade da mulher do campo. 

 



A agrofloresta mecanizada é uma experiência inovadora aqui no DF que vem trazendo sustentabilidade para as regiões do Descoberto e Paranoá.

 

A Sema junto com o projeto CITinova testam equipamentos idealizados para ajudar o agricultor no preparo de área, plantio e manejo de agroflorestas.

 

Solução que contribui para a proteção do solo e dos mananciais no DF e ainda facilita a lida das mulheres produtoras rurais. A integração entre floresta e agricultura são fundamentais frente aos desafios planetários como:

A degradação de solos agricultáveis, as mudanças climáticas e o risco de colapso dos sistemas produtivos.

 


Plantar agrofloresta é plantar água!

 

Esse Sistema de cultivo está mudando a paisagem e trazendo mais sutentabilidadade ao DF.

 



Com a presença do especialista em Agricultura Sintrópica, Ernest Götsch, pequenos agricultores selecionados nas bacias dos rios Descoberto e do Paranoá concluiram o quarto módulo do curso de capacitação do programa de implantação de Sistemas Agroflorestais (SAFs) Mecanizados, desenvolvido desde o início de 2019 pela Secretaria do Meio Ambiente e o Projeto CITinova.

 

Os 37 agricultores participaram do módulo final, que foi dividido em duas turmas devido ao distanciamento imposto pela epidemia da Covid 19.

 

São três máquinas inovadoras testadas pela SEMA/CITinova: a subsoladora com enxada rotativa, que prepara os canteiros para o plantio; a ceifadeira-enleiladeira, que ceifa e enleira o capim para manter o solo coberto; e o podador de altura, que facilita a elevação do operador da motosserra ou da tesoura hidráulica para fazer a poda das árvores em altura.

 



A implantação de pesquisas sobre água magnetizada (ou água estruturada) aplicada à irrigação ocorre em duas áreas-piloto no DF. Tem como objetivo verificar o aumento de produtividade e/ou redução da necessidade de água para irrigação a partir do uso do tratamento magnético da água.

 

A ação faz parte das ações de boas práticas, pesquisas e inovações nas bacias do Descoberto e do Paranoá, visando a segurança hídrica do DF.

 

Estão sendo testados três magnetizadores, dois importados e um desenvolvido por pesquisadores brasileiros nos dois projetos pilotos: um em área aberta, na Chácara Colina, e outro em estufa, na fazenda da UnB.

 



 

Implantação de experiências pilotos para remediação do antigo Lixão da Estrutural e a implantação de projetos pilotos para testar tecnologias inovadoras de remediação para áreas contaminadas. No local, já foram implantadas ações de fitorremediação exitosas e técnicas de sucessos utilizadas em situações similares para a descontaminação do solo com a utilização de espécies nativas e exóticas. Foram instalados poços de monitoramento de água superficial e subterrânea; feitas análises do solo e dos resíduos sólidos depositados; com elaboração de mapas temáticos.

 

O diagnóstico ambiental contratado para avaliar a região e implantar projetos de recuperação, concluiu que a contaminação no local foi menor que a esperada. As próximas etapas do trabalho incluem investimentos em ações de remediação. A ideia é dar prioridade ao uso de novas tecnologias com menor custo.

 



Conheça o projeto-piloto de Sistemas Agroflorestais (SAFs) mecanizados, com produtores rurais na região das bacias do Descoberto e Paranoá.

 

Foram implantados Sistemas Agroflorestais (SAFs) mecanizados em 20 hectares junto a 37 pequenos agricultores locais beneficiados pelo projeto. Além de gerar renda para as famílias, a implementação de agrofloresta protege o solo e os mananciais das bacias do Descoberto e do Paranoá, responsáveis por 80% do abastecimento do DF. Três equipamentos desenvolvidos para o projeto foram disponibilizados: enxada rotativa com subsolador integrado, ceifadera customizada para agrofloresta e podador de altura, equipamentos que aceleram e facilitam o plantio e sua manutenção.

 

Tecnologias inovadoras que aceleram a transição para cidades mais sustentáveis, integrando o homem e à natureza.

 



Uma série de ações de sustentabilidade são desenvolvidas no Distrito Federal. E quem está à frente desse trabalho é a Secretaria do Meio Ambiente (Sema). São projetos-pilotos, com tecnologias inovadoras, que aceleram a transição para um DF mais sustentável.

 



I Workshop: Diagnóstico e Técnicas de Tratamento de Efluentes – Remediação do Antigo Lixão da Estrutural – Projeto CITinova/Sema/DF – 10 de dezembro de 2020.

 

MESA 3 – Diretrizes para Remediação do Antigo Lixão da Estrutural

Mesa integradora de todos os palestrantes agregados aos representantes de diversas instituições, trazendo os aspectos a serem considerados para a estratégia de gerenciamento dos passivos no antigo Lixão da Estrutural, a partir do diagnóstico da contaminação realizado e os inerentes desafios financeiros das proposições dessas práticas.

– Dr. Roberto Carlos Batista, Promotor de Justiça de Defesa do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (Prodema) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios – MPDFT
– Eng. Heliana Kátia Campos, Vice-Presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES em Brasília.
– Rômulo Barbosa, Diretor-Adjunto Serviço de Limpeza Urbana – SLU do Distrito Federal
– Élen Dânia, Superintendente de Resíduos Sólidos, Gás e Energia da Agencia Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal – ADASA
– Sandro Lima, Diretor de Emergências, Riscos e Monitoramento da Brasília Ambiental
– Elisa Meirelles, Assessora Especial da Secretária de Meio Ambiente do Distrito Federal – SEMA DF

 



I Workshop: Diagnóstico e Técnicas de Tratamento de Efluentes –  Remediação do Antigo Lixão da Estrutural – Projeto CITinova/Sema/DF – 10 de dezembro de 2020.

 

MESA 2 – Experiências de Tratamento de Efluentes em Aterros Sanitários

Desafios, práticas e técnicas consagradas em remediações de lixões aplicáveis à recuperação de áreas degradadas que podem ser alternativas que contribuam na busca de soluções para o caso do Lixão da Estrutural.

Sistema de tratamento do chorume (líquido percolado)
– Eng. Químico Antônio Mallman – Empresa M2K Technology.

Transformando Lixões em Parques Multifuncionais
– Prof. Dra. Cecília Herzog – Pontifícia Universidade Católica – PUC/Rio de Janeiro.

 



I Workshop: Diagnóstico e Técnicas de Tratamento de Efluentes – Remediação do Antigo Lixão da Estrutural – Projeto CITinova/Sema/DF – 10 de dezembro de 2020

 

MESA 1 – Diagnóstico do Lixão da Estrutural

Os principais pontos de contaminação atual na região e adjacências ao Lixão, os métodos utilizados, resultados obtidos com relação à contaminação das águas e dos solos; caracterização e quantificação dos resíduos e as técnicas de remediação propostas.

– Prof. Dr. José Elói Guimarães Campos, Universidade de Brasília – Instituto de Geociências – Coordenador do estudo.

Diálogo com o diagnóstico do Lixão da Estrutural, trazendo os principais desafios a serem enfrentados à luz da experiência de gerenciamento de áreas contaminadas no Estado de São Paulo.

– Dr. Elton Gloeden – Gerente do Departamento de Áreas Contaminadas da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo- CETESB

 



I Workshop: Diagnóstico e Técnicas de Tratamento de Efluentes – Remediação do Antigo Lixão da Estrutural – Projeto CITinova/Sema/DF – 10 de dezembro de 2020.

 

Abertura institucional do I Workshop Diagnóstico e Técnicas de Tratamento de Efluentes – Remediação do Antigo Lixão da Estrutural

– José Sarney Filho, Secretário de Meio Ambiente do Distrito Federal – SEMA DF
– Jair Tannús Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal– SLU
– Márcio Rojas da Cruz, Coordenador-Geral do Clima do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações -MCTI
– Asler Lessels, Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA
– Dr. Roberto Carlos Batista, Promotor de Justiça de Defesa do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (Prodema) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios – MPDFT

Contextualização do Diagnóstico do Lixão da Estrutural no âmbito do Projeto GEF/CITinova

– Nazaré Soares, Coordenadora Executiva do Projeto GEF/CITinova – SEMA-DF